Hipertensão e Exercícios Físicos – Depoimento de Bruna Gouveia

HIPERTENSÃO – CONTROLEI A PRESSÃO ALTA FAZENDO EXERCÍCIO EM CASA

Você conhece alguém que sofre de pressão alta? Seja por fatores hereditários, maus hábitos alimentares ou sedentarismo, quem convive com esta doença sabe como a qualidade de vida pode ser prejudicada.

Vamos juntas entender como a Bruna, 38 anos, mãe de 3, trabalhando em casa e fora, conseguiu driblar o sedentarismo e controlar a hipertensão!

ROTINA DE UMA MÃE QUE TRABALHA EM CASA

Um dia na casa da Bruna é aquela correria! Ela leva seu filho mais velho para a escola, cuida da menor, lava louça, estende roupa, prepara o almoço da família. Parece que o tempo voa e já é hora de buscar voltar na escola para buscar filho! Põe a pequena para tirar uma soneca, limpa os cômodos, rega as plantas, faz compras, ajuda no dever…E já está na hora de preparar o jantar! Dá para ver que aí, na sua rotina, na sua cidade, você pode encontrar muitas coisas em comum com a Bruna lá em Juazeiro do Norte, Ceará. Assim como tantas mulheres que trabalham em casa, atualmente, ela também procura fazer outras atividades para aumentar sua renda familiar, fazendo faxina para fora quando aparece a oportunidade. Nossa aluna é uma guerreira! Mas… todo esse esforço acabou desviando sua atenção da própria saúde.

Ter muitas tarefas não pode tirar da prioridade a saúde. Com a história da Bruna, podemos aprender que não vale a pena arriscar o nosso bem-estar. Vem comigo saber como ela virou o jogo!

MATERNIDADE, SAÚDE E A BALANÇA 

Muitas de nossas alunas são mães e isso não é uma coincidência.

A gestação, o puerpério, a amamentação, a privação do sono… Tantas coisas acontecem nos meses de gestação e nos primeiros meses de vida do bebê. São verdadeiras revoluções hormonais, aliadas a uma nova rotina que se estabelece.

É bem comum que nesta fase, as mulheres desejem perder uns quilinhos treinando em casa, já que com o bebê pequeno, fica muito mais fácil assim. Se você está passando por este momento tão especial, lembre-se que é necessário ter a liberação do seu médico para treinar. Não tenha pressa! Não se deixe pressionar por padrões irreais que estão na mídia. Muitas mudanças acontecem no corpo da mulher e não é de forma instantânea que o corpo volta à sua forma! Leva um tempo.

Consciência, paciência e equilíbrio nas suas escolhas serão fundamentais! E uma dose de disciplina também!

Bruna passou por isso três vezes! E como nenhuma gestação é igual a outra, vamos entender como e por quê Bruna fez certas escolhas, que tiveram consequências na balança e na sua saúde.

AMAMENTAR EMAGRECE?

Em sua última gravidez, Bruna, acreditava que para ter mais leite, ela teria de redobrar os cuidados com a alimentação. Seu histórico com seus primeiros filhos foi de dificuldades na produção do leite e ela tinha o desejo de amamentar a caçula.

Bruna acabou seguindo a risca todo e qualquer conselho que recebia na expectativa de conseguir amamentar. Quem é mãe sabe que, o que não falta, é alguém para dar alguma dica, conselho ou mandinga! Veja só a que ponto chegou: na sua garrafa térmica, ao invés de ter café tinha mingau de milho! E passava o dia todo tomando.

“Quando engravidei e tive minha neném, ainda estava na casa do 85 quilos. Estava mais fácil de perder, já que na gravidez não engordei, mas depois eu passei a engordar muito mesmo!”

As receitas da avó, da madrinha, da vizinha, da comadre nem sempre são as mesmas indicadas pela Nutricionista. A Bruna que o diga! Na ansiedade de ter mais leite e amamentar, cometeu vários deslizes. Nessa época, Bruna não tinha um repertório de alimentação saudável a que pudesse recorrer.

“Ahh! Cuscuz de milho é bom! e eu fazia pela manhã e para dormir, e comia todo dia! E diziam: – Olha, mingau de milho é bom! E eu fazia canjica e tudo mais que era do milho”.

Toda receita que levava milho ela preparava e comia loucamente, porque diziam ser bom para a produção natural do leite. Nem precisava dizer que as receitas eram todas com alto teor calórico e nessa “brincadeira” ela foi ganhando peso. Chegou aos 94 quilos e uma grande e crescente insatisfação.

 A produção de leite ocasiona um gasto calórico relevante na mãe. Esta é a principal razão pela qual, na maioria das vezes, as lactantes perdem peso. Aliás, não é incomum ouvir relatos de mães que sentem muita fome nesta fase. Mas, como o exemplo da Bruna deixa bem claro, tudo depende de como os hábitos vão interferir neste processo. Se alimentação for desregrada e com altos índices calóricos, toda essa perda será compensada.

 SOBREPESO

Quando Bruna atingiu a casa dos 94 quilos ficou preocupada. Pensou que em breve estaria com 100 kg, marca que nunca havia atingido. Junto com os quilos a mais, vieram algumas queixas. Passou a sentir muita dificuldade e calor quando ia ao banco, por exemplo. Ficava verdadeiramente exausta. O cansaço era tanto, que não tinha fôlego para fazer a caminhada do percurso de ida e volta.

“Eu estava engordando sem parar, já com 94 quilos. Sei como nosso corpo pede socorro. Eu não tinha força nem para estender roupa no varal, sentia muita tontura.”

Começou a sentir dores no nervo ciático e não dormia direito. Não encontrava uma posição que a deixasse suficientemente confortável para uma boa noite de sono. Como se não bastasse, teve uma hérnia! Precisou fazer tratamento, o que lhe trouxe ainda mais dificuldades.

Em casa, não conseguia mais fazer com facilidade as atividades básicas do dia a dia como estender roupas no varal. Sentia os braços super pesados, e começou a apresentar sintomas de pressão alta como vertigens e tontura.

“Eu também achava que iria morrer, que eu iria dormir e não acordar mais, por não conseguir respirar direito.”

Iniciou uma dieta por conta própria: fazia apenas uma refeição por dia! Imagina só como foi o efeito desta dieta maluca? Se antes a Bruna já se sentia tão cansada, alimentando-se desta forma foi ainda pior. O desânimo e a falta de energia foram avassaladores! Era a hipertensão se manifestando.

O QUE É HIPERTENSÃO ?

Para chegar a cada parte do organismo, o sangue bombeado a partir do coração exerce uma força natural contra as paredes internas das artérias. Os vasos, por sua vez, oferecem certa resistência a essa passagem. E é essa disputa que determina a pressão arterial.

A pressão varia ao longo do dia. Numa pessoa deitada, ela fica mais baixa. Quando nos movimentamos, os valores sobem, porque o cérebro avisa que o corpo precisa de mais energia. A pressão é apresentada em milímetros de mercúrio (mmHg). O indivíduo é considerado hipertenso quando sua pressão fica maior ou igual a 14 por 9 na maior parte do tempo. A partir desse limite, o risco de ocorrer doenças cardiovasculares, renais e por aí vai é significativamente maior.

CONSULTANDO UMA NUTRICIONISTA

Uma amiga de Bruna indicou uma nutricionista e esta foi uma importante decisão. A alimentação tem um impacto enorme da saúde, mais ainda na situação em ela se encontrava. A Bruna estava praticando algumas decisões muito aleatórias, sem base científica. Ter uma alimentação saudável também requer conhecimento!

“Minha alimentação era toda esquisita, porque passei a vida toda comendo sempre macarrão e todo tipo de massa!”

Com esses hábitos, seria difícil para a Bruna conseguir prover seu organismo dos nutrientes necessários para seu pleno funcionamento. A Nutricionista, ajuda a organizar o dia a dia alimentar, respeitando a individualidade do paciente. No Caso da Bruna que precisava enfrentar a hipertensão, ajuda profissional foi crucial.

No primeiro mês me pesei e a Nutricionista me deu bronca e exclamou: como assim eu só perdeu 700 gramas? E ela falou que se eu não me mexesse, não iria perder o que precisava.”

Alimentação equilibrada e a prática regular de exercícios são uma dupla inseparável quando se trata de emagrecimento saudável.

DEIXANDO A ZONA DE CONFORTO

“Eu tinha acabado de ter uma criança e me via sozinha pra tudo. Fiquei sedentária, não conseguia adaptar meu tempo para fazer exercícios, então esperei ela ficar maior pra eu poder me movimentar. Com essa espera acabei ganhando peso demais.”

Esse tempo que a Bruna precisou para conseguir se reorganizar lhe custaram caro: o sedentarismo só agravou seus problemas de saúde. Sabemos que o fator “tempo para treinar” é muito relativo. Hoje em dia ninguém tem tempo de sobra. Tudo é uma questão mesmo de prioridade. Você sabia que o brasileiro gasta em média 3 horas e meia por dia nas redes sociais? E que 47% dos brasileiros são considerados sedentários? Pois é, como eu disso antes, é uma questão de prioridade.

Mesmo sabendo que comer bem e se exercitar são hábitos extremamente importantes, mudar não é fácil. O momento definitivo para Bruna mudar de atitude, foi em um casamento de um familiar. Ela não conseguia encontrar uma roupa em que se sentisse bem para a festa. Sua amiga tirou uma foto e não foi fácil de encarar.  

“Quando me olhei não acreditei que era eu, porque na minha cabeça eu não tinha aquele corpo, eu não me via daquele jeito. Ver essa foto, foi como se tivessem jogado um balde de água em mim!”.

Muitas vezes o sofrimento beira o insuportável. É nesse momento que mudar é a única saída, pois não há mais zona de conforto.

SEDENTARISMO: BASTA!

Para emagrecer e controlar a pressão alta, Bruna precisou dar um basta no sedentarismo, especialmente se valendo de atividades aeróbicas, HIIT, exercícios de alongamento, aulas de localizada, correr e nadar. Estas atividades induzem a liberação de óxido nítrico, substância vasodilatadora. Com as artérias relaxadas, a tendência é a pressão se manter mais baixa.

Verdade que, durante os treinos, é esperado que a pressão até suba um pouco – daí porque pacientes com hipertensão devem ter certos cuidados com os exercícios. Após iniciar as atividades, os números se estabilizam, podendo notar visivelmente melhoras na saúde.

ESTABELECENDO UMA ROTINA DE TREINO

Dentro de sua rotina, Bruna adapta seus treinos às demais atividades. Dependendo da época, quando está muito calor em sua cidade Juazeiro do norte – Ceará, costuma fazer os exercícios durante a noite que é mais fresco.

Ela descobriu o site do Exercício em Casa ao buscar por aulas de alongamento. E foi assim que iniciou: primeiramente conciliando os alongamentos e caminhadas. Conhecendo mais sobre o EC, logo descobriu que o programa Cardiomix® era ideal para a sua necessidade.  Não deu outra: amou! Gosta particularmente das aulas da professora Dani e professora Lira!

Bruna sabia que precisava seguir uma programação completa e planejada para ter resultados.

“Treinando sozinha eu percebi que iria ficar faltando alguma coisa, eu ficava perdida sem saber como começar”

Hoje Bruna acompanha a rotina Cardiomix na fase lilás e está em reeducação alimentar.

RESULTADOS TREINANDO EM CASA

O EC tem ajudado muito a aliviar suas dores!  Bru já é assinante há sete meses. Ela confessa que antes da gravidez, praticava aulas de zumba, quando ainda não conhecia o Exercício em Casa, mas não achava as aulas organizadas. Agora percebeu suas medidas mudarem realmente além de manter a pressão sob controle.

Bruna está pesando praticamente 13 quilos a menos desde quando iniciou, Sentindo-se muito mais feliz e empolgada!

SUPERAÇÃO E PERSISTÊNCIA

Bruna nunca pensou em desistir, ela sente muito orgulho das decisões que tomou (e nós também!).

“Fiz umas faxinas pra fora e consegui assinar meu plano! Agora é pensar em continuar fazendo meus exercícios, estou me sentindo bem mais perto do meu objetivo.”Comecei fazendo as caminhadas, que davam uns 12 minutos a pé de chinelo, pois eu não tinha tênis. Hoje sou assinante Cardiomix® e após 11 meses de exercícios, sou outra pessoa.”

Parabéns Bruna, você merece cada grama desta conquista! Você é um grande exemplo de persistência e luta! E com essa história linda de superação, sigo dizendo que temos muitas coisas boas para realizar. Sempre há um caminho.

Te vejo no treino?

Hipertensão e Exercícios Físicos – Depoimento de Bruna Gouveia

3 Comentários

Você pode usar HTML tags e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>